Satélite Meteorológico

Satélite Meteorológico

Um satélite meteorológico é uma plataforma de observação de nuvens lançada para o espaço, atingindo órbita ao redor do planeta.

Os satélites são capazes de conseguir imagens extremamente valiosas da atmosfera em regiões onde não há estações de superfície para observação e registro do tempo. Antes dos satélites existirem, tempestades destruidoras como tufões e furacões não podiam ser detectados até que se aproximassem de áreas habitadas e causassem grande destruição. Hoje, satélites são capazes de detectar as tempestades ainda em formação, ajudando a reduzir os danos causados.

Existem dois tipos principais de satélites meteorológicos em utilização:

  • Satélites geoestacionários: Orbitam acima do equador na mesma velocidade do giro da Terra, o que permite que monitorem sempre a mesma região do globo.
  • Satélites de órbita Polar: Orbitam muito próximos às linhas dos meridianos terrestres, e após um certo número de voltas são capazes de adquirir imagens do globo inteiro, incluindo os Polos, que não podem ser vistos de maneira adequada pelos satélites geoestacionários.

Satélites utilizam uma variedade de instrumentos para observar as condições meteorológicas, como câmeras, radares e radiômetros de diversos tipos, além de instrumentos extras como monitores de atividade solar, fornecendo aos pesquisadores e meteorologistas dados de grande importância para a previsão e o monitoramento do tempo.

Curiosidade: O Sistema de Posicionamento Global (GPS) funciona através de 24 satélites que orbitam o planeta Terra, e também é capaz de estimar indiretamente o vapor de água precipitável na atmosfera.


Autor: Matheus Manente
Fonte: Ahrens, C. D. Meteorology Today: An Introduction to Weather, Climate, and the Environment. Brooks/Cole Cengage Learning, Belmont, CA, 2009.

Marcações: