Raio Bola

Raio Bola

É uma esfera de gás carregada eletricamente que flutua e está geralmente associada com tempo severo.

A cor do raio bola varia entre laranja, vermelho e amarelo, e seu tamanho médio é de 23 cm. Seu surgimento é raramente observado, se formando a partir de raios nuvem-terra.

Essas características foram obtidas a partir de relatos de inúmeras pessoas, sem uma teoria como base. A mais aceita é de Abrahamson e Dinniss, que propõe a formação a partir da oxidação de nanopartículas de silício na atmosfera. Assim, em regiões com solos ricos em silício a formação do raio bola é mais frequente, e ocorre quando o raio nuvem-terra atinge a superfície. Isso aumenta rapidamente a temperatura e causa a oxidação quando em contato com o ar.

Esse tipo de reação não ocorre apenas com o silício, outros elementos como o alumínio também podem sofrer essa reação. Isso explica porque muitos relatos ocorrem em aviões. O raio atinge a carcaça metálica do avião e provoca a oxidação do corpo metálico, o que forma o raio bola. Além disso, diferentes elementos químicos podem gerar raio bolas de diferentes cores.

Apesar de ser um fenômeno ímpar e relativamente raro, é importante ressaltar o quão perigoso um raio bola pode ser. Suas temperaturas estimadas podem chegar a 1400 K (aproximadamente 1130ºC). Então é recomendável manter-se à uma distância segura do fenômeno.


Autor: Rafael Cesario de Abreu
Referências:
ABRAHAMSON, J., DINNIS, J., Ball lightning caused by oxidation of nanoparticle networks from normal lightning strikes on soil. Nature, 2000, v. 403, p. 519 – 521.
ABRAHAMSON, J., Ball lightning from atmospheric discharges via metal nanosphere oxidation: from soils, wood or metals, Phil. Trans. R. Soc. Lond. A, 2002, v. 360, p. 61 – 88.
SMIRNOV, B. M., Physics of ball lightning, Physics Reports, 1993, v. 224, p. 151 – 236.
SMIRNOV, B. M., The properties and the nature of ball lightning, Physics Reports, 1987, v. 152, p. 177 – 226.

Marcações: