Pressão Atmosférica

Pressão atmosférica

Peso da coluna de ar exercida sobre determinado ponto.

Apesar de serem invisíveis, as moléculas de ar possuem uma massa associada. Assim, a pressão atmosférica é definida como o peso que a coluna de ar exerce sobre determinado ponto. Logo, conforme subimos na atmosfera, cada vez menos moléculas de ar estão presente, fazendo com que a pressão atmosférica sempre decresça com a altura.

A pressão atmosférica está altamente ligada com a temperatura, criando diferenças de pressão ao redor do globo, e consequentemente ventos. A diferença entre um local com uma baixa pressão e um local com uma alta pressão faz com que o ar se movimente no sentido da alta pressão para a baixa pressão. Isto é, para manter o equilíbrio, a atmosfera transporta moléculas de ar de uma região com excesso de massa (alta pressão) para uma região com deficiência de massa (baixa pressão).

A pressão atmosférica é medida com um barômetro e é importante para os meteorologistas, pois regiões de baixa e alta pressão estão associadas a fenômenos meteorológicos diferentes. Por exemplo, regiões de baixa pressão às frentes frias, e regiões de alta pressão ao tempo mais aberto.

Curiosidades: Geralmente quando se está em locais mais altos, como montanhas, se percebe que os ouvidos entopem e a respiração se torna mais frequente do que quando estamos próximos ao nível do mar. Isso ocorre pois existem menos moléculas de ar disponíveis na atmosfera, ou seja, a pressão atmosférica diminui. Logo, os ouvidos entopem para balancear a pressão interna do ouvido com a externa. Além disso, como se está respirando menos moléculas de ar, é necessário que se respire mais rapidamente para trazer as poucas moléculas presentes para os pulmões, de maneira a compensar sua deficiência.


Autor: Rafael Cesario de Abreu
Fonte: Ahrens, C. D. Meteorology Today: An Introduction to Weather, Climate, and the Environment. Brooks/Cole Cengage Learning, Belmont, CA, 2009.

Marcações: