Gases Traço

Gases Traço

São gases presentes na atmosfera em um nível de concentração muito baixo, geralmente por conta de sua natureza muito reativa ou baixos níveis de produção e emissão.

Os gases traço representam menos de 1% do total da atmosfera, mas são peças fundamentais para o balanço de radiação no planeta e também para as propriedades químicas da atmosfera. Os gases traço são responsáveis pela formação de fenômenos como o smog urbano, a deposição ácida, o buraco na camada de ozônio e mesmo mudanças climáticas de escala planetária.

Os gases traço também são chamados de gases do efeito estufa, pois a grande maioria está ligada diretamente à formação deste fenômeno. A sua abundância tem aumentado rapidamente nos últimos dois séculos, e embora existam fontes geológicas, biológicas e químicas destes gases, acredita-se que o principal causador desta mudança seja o ser humano, através da queima de combustíveis fósseis, atividades industriais, queima de biomassa e deflorestamento.

A atmosfera possui uma grande variedade de gases traço. Alguns dos mais importantes são o dióxido de carbono, o vapor d’água, o metano, o óxido nitroso, e os clorofluorocarbonos (CFCs). Os ciclos de vida dos gases traço estão entrelaçados através de uma rede complexa de processos físicos e quimicos, de maneira que uma perturbação na concentração de um único tipo de gás pode trazer impactos consideráveis também para todos os outros.


Autor: Matheus Manente
Fonte: American Meteorological Society, cited 2014:Trace Gas. Glossary of Meteorology. [Available online at http://glossary.ametsoc.org/wiki/Trace_gas.]; Seinfeld, J. H. Pandis, S. N. Atmospheric Chemistry and Physics: From Air Pollution to Climate Change. Jon Wiley & Sons, Inc., Hoboken, NJ, 2006.

Marcações: