Cumulonimbus

Cumulonimbus

Nuvens densas que se estendem até os mais altos níveis da atmosfera, com topo em formato de bigorna. São responsáveis pela formação de tempestades.

As Cumulonimbus (abreviação Cb) são também conhecidas como nuvens de tempestade, podendo se formar a apenas 600 metros do solo mas se estendendo até o topo da troposfera, a uma altura de 12.000 metros. Sua base geralmente possui aparência plana e bastante escura, e os ventos fortes em altitudes mais elevadas podem fazer com que o formato do seu topo se assemelhe a uma bigorna achatada.

Quantidades enormes de energia liberadas pela condensação de vapor dentro de uma Cumulonimbus resultam na formação de fortes correntes de ar verticais, que podem ultrapassar velocidades de 130 km/h. A parte mais baixa e quente da nuvem geralmente é composta por gotículas de água, enquanto as partes mais altas e frias são compostas exclusivamente por cristais de gelo. Em altitudes médias, água e gelo se misturam.

Este tipo de nuvem está frequentemente associado à condições de tempo severas como chuvas torrenciais, raios, trovões, ventos fortes e até tornados. As nuvens maiores podem conter todos os tipos de precipitação, como gotas de água, neve e granizo, atingindo a superfície de forma violenta. As cumulonimbus podem ocorrer como nuvens isoladas ou como parte de uma linha ou “parede” de nuvens.

Curiosidade: Cumulus Congestus e Cumulonimbus podem ser nuvens muito parecidas, mas é possível distinguí-las observando seu topo. Se a parte mais alta da nuvem é bem definida e não fibrosa, geralmente é uma Cumulus Congestus. Se o topo perde a definição e adquire uma textura fibrosa, geralmente é uma Cumulonimbus. Além disso, raios e trovões são fenômenos associados à nuvens Cumulonimbus e não Cumulus Congestus.


Autor: Matheus Manente
Fonte: Ahrens, C. D. Meteorology Today: An Introduction to Weather, Climate, and the Environment. Brooks/Cole Cengage Learning, Belmont, CA, 2009; Met Office, cited 2015: Altostratus. Cloud Spotting Guide [Available online at http://www.metoffice.gov.uk/learning/clouds/cloud-spotting-guide.];

Marcações: