Correntes Oceânicas

Correntes Oceânicas

Correntes de circulação da água dos oceanos, que se dividem em circulação termo-halina e circulação gerada pelo vento.

Outra maneira de dizer isto é que as correntes oceânicas são o resultado do efeito combinado dos movimentos termohalinos e também dos movimentos gerados pelo vento. Em ambos os casos, o movimento das correntes persiste por muito além da sua região de origem. Ainda assim, a principal forçante que gera as correntes de circulação oceânica é a radiação solar, que também é a principal responsável pela circulação do ar na atmosfera.

A circulação termo-halina se refere aos movimentos produzidos através da alteração da densidade da água, que ocorre por variações na temperatura ou na salinidade em determinada região do oceano. Efeitos como o superaquecimento da água na região equatorial, o resfriamento nas regiões próximas aos polos ou no hemisfério cuja a estação seja o inverno, e a formação de gelo cuja água residual tem a sua salinidade aumentada, influenciam este tipo de circulação. Ela sempre se inicia como um fluxo vertical que depois se torna horizontal.

A circulação gerada pelo vento ocorre principalmente nas primeiras centenas de metros do oceano, e se dá como consequência da fricção no fluido, embora a direção do movimento da água no oceano profundo não seja a mesma da circulação dos ventos. Em parte isto se deve à rotação do planeta, que gera a força de Coriolis. O resultado é que as correntes geradas pelo vento, nas camadas superiores do oceano, se movem para a esquerda do vento no hemisfério sul e para a direita no hemisfério norte. A circulação gerada pelo vento é caracterizada por fluxos essencialmente horizontais.


Autor: Matheus Manente
Fonte: Pickard, G. L., Oceanografia Física Descritiva. Fundação de Estudos do Mar, Rio de Janeiro, RJ, 1974;

Marcações: